Restaurante A Maria

Restaurante A Maria

A originalidade deste espaço deve-se a uma ideia de Vitor Rosa, conhecido no Alandroal como o homem que “pinta pedras”. O que ele imaginou e conseguiu foi a criação de um pátio alentejano de alto pé-direito, no qual funciona a sala de jantar e que reconstitui a arquitectura rural dos povoados alentejanos com todo o ambiente campestre. Nas paredes foram pintadas as fachadas de casas rurais, com varandas de ferro forjado, onde há roupa a secar e vasos com flores. Tudo decorado com as cores tradicionais da região.

O restaurante divulga e promove o artesanato local e alguns produtos alimentares, como queijos e presuntos.

Não deixe de se deliciar com as entradas, de que fazem parte, entre outras iguarias, saladinha de coelho, pimentos vermelhos, cogumelos e enchidos. Da vasta ementa, confeccionada com mão certeira pela cozinheira Maria Monteiro, recomenda-se o cozido de grão, saboroso e perfumado; o borrego à Tia Maria, refogado em vinho tinto, e uns magníficos pezinhos de coentrada. De fazer crescer água na boca é a caldeirada de cabrito, a feijoada e o pato em molho de vinho tinto. O serviço é muito simpático e atencioso e a lista de vinhos é bastante cuidada.

Tentadora é também a vasta lista de doces, como o pão de rala, fidalgo, morgado, sericaia e outros doces conventuais. Antes de se despedir pela ainda um chá de hortelã, que o ajudará no processo digestivo.

Acolhedor de inverno e fresco de verão, A Maria pode ser um bom ponto de partida para a descoberta da vila e do seu castelo de origem cristã (séc. XIII). A fonte da praça principal é outro dos “ex-libris” desta terra povoada de habitações caiadas de branco imaculado.

 

Garfo de Ouro